Muitas pessoas estão a perder dinheiro no IRS porque não conhecem esta informação!

Esta informação vai ser muito útil, pois provavelmente estás a perder dinheiro no IRS por não a conheceres.

Associar o NIF a uma fatura de restaurante não substitui que se faça o mesmo no supermercado. Ambos reduzem o IRS mas de forma diferente.

As despesas gerais familiares entraram na categoria das deduções à coleta e permitem reduzir o IRS em 250 euros. Um valor exatamente igual ao que pode ser obtido através das faturas dos restaurantes, mas as semelhanças acabam aqui. Com a reforma do IRS, desapareceu uma dedução pessoal que até aí era atribuída a cada contribuinte, sendo esta calculada de forma automática pelo fisco sem ser necessária qualquer intervenção deste.

No modelo que agora vigora (e que foi decido manter), é necessário que os contribuintes reúnam gastos no âmbito das chamadas “despesas gerais familiares” para terem um desconto no imposto de valor equivalente ao que antes lhes era dado de forma automática e invisível.
Os contribuintes têm de reunir gastos no âmbito das chamadas “despesas gerais familiares”

O que significa isto na prática?

Que todos os contribuintes têm de, durante o ano, ir juntando faturas de despesas que não entrem nas outras categorias de dedução ou de benefício que abatem ao IRS de outras formas. Para chegar aos 250 euros dedutíveis por via destas despesas gerais familiares, contam 35% dos gastos com tudo o que não seja educação ou formação, saúde, renda de casa ou lares de idosos. Para muitas pessoas, sobretudo as mais idosas, as contas da água, da luz, do gás ou do supermercado acabam por ser as que mais as ajudam a chegar aquele limite dos 250 euros (500 euros por casal).

É, por isso, importante não confundir os tipos de dedução ou pensar que quando se juntam faturas (com NIF) de supermercado, por exemplo, já não é necessário pedi-las no restaurante ou vice-versa.

Por uma questão de mera coincidência, o benefício fiscal que pode ser obtido com as faturas do restaurante também é de 250 euros. Mas este não substitui a dedução das despesas gerais familiares. Pelo contrário, um soma-se à outra. Neste benefício, cujo valor limite é mais difícil de atingir, o fisco aceita 15% do IVA pago nos restaurantes, nos cabeleireiros ou barbeiros e também nas reparações do carro – sendo que neste último caso não são consideradas a compra de peças, mas o serviço em si.

Outra coincidência entre este benefício e as despesas gerais familiares é que ambos entram de forma automática na declaração do IRS mas não ficam visíveis ao contribuinte – o fisco encarrega-se de os calcular e de os ter em devida conta quando faz os cálculos finais da liquidação do IRS.

Fonte: dinheirovivo

Convidamos, desde já, todos a visitarem o nosso site: http://odds.pt onde poderás verifcar onde tens mais vantagem em apostar com o nosso comparativo de odds, que é único em Portugal, que tens a possibilidade de comparar entre aBetclic e bet.pt  e o Placard.

Partilha com os teus amigos!

Deixa o teu comentário